óscares || os vencedores.

Uma troca de envelopes, Bonnie e Clyde a fazer das suas e uma pequena derrota para La La Land são os pontos que resumem a noite dos Óscares em toda a extensão da Internet. Tirando a parte do escândalo que marcará sem dúvida a história dos Óscares não fiquei surpreendida com os resultados finais. Este ano todos os filmes tinham uma qualidade muito elevada e por isso é natural que os prémios se tenham dividido entre as várias obras porque estavam praticamente todos ao mesmo nível. La La Land começou logo a perder na categorias mais técnicas de edição e mistura de som - e guarda-roupa - porque efectivamente houveram outros filmes que estiveram à sua altura e logo aí percebeu-se que o desfecho não seria o mesmo que filmes como o Titanic ou o Senhor dos Anéis: O Regresso do Rei tiveram. No final, de catorze nomeações levou para casa apenas seis estatuetas sendo na mesma o filme mais premiado da noite. Segui-se Moonlight com três prémios, Manchester by the Sea com dois e os restantes foram-se dividindo. Fiquem com a lista completa do vencedores:
A estatueta dourada de melhor filme foi - depois de toda a confusão - entregue a Moonlight e posso-vos dizer que já estava à espera. Quando acabei de ver o Moonlight e fiquei logo com a sensação que tinha acabado de ver o vencedor. La La Land também teria sido um justo vencedor mas o Moonlight é aquele filme que, aliando a história forte ao elenco, à imagem e à banda sonora se transforma numa obra quase poética. A América - e o mundo - precisava que um filme destes ganhasse o óscar, sem dúvida. 
Damien Chazelle mereceu totalmente a estatueta de melhor realizador. Tudo é perfeito em La La Land em termos de realização. A montagem, as cores, a luz, os planos, tudo. É o realizador mais novo a ganhar este Óscar e depois de Whiplash e de La La Land só se podem esperar grandes produções deste homem. 
As estatuetas de melhor ator e melhor atriz foram entregues a Casey Affleck e a Emma Stone respetivamente. No que diz respeito ao papel masculino não vi todos os filmes mas dos três que vi senti logo que o papel seria entregue a Casey Affleck uma vez que o filme Manchester by the Sea gira muito em torno da sua performance. É muito sobre ele e ele executa-o na perfeição. No entanto, confesso que torci um pouco pelo Andrew Garfield. Ryan Gosling não tinha qualquer oportunidade nesta categoria com muita pena minha. Ainda tenho de ver Fences para poder comparar a prestação de Denzel com a de Casey e para formar uma opinião na vitória de Viola Davis uma vez que tanto Michelle Williams como Naomi Harris foram fantásticas. 
Quanto à Emma Stone e apesar de também não ter assistido a todas as performances nomeadas duvido muito que haja uma atriz que tenha conseguido demonstrar tantas facetas diferentes num só filme. 
O prémio de melhor ator secundário foi atribuído a Mahershala Ali e apesar de também não ter visto todos os outros atores, o seu papel em Moonlight, apesar de curto, é de uma qualidade enorme. É daquelas personagens que depois de abandonar o filme ainda é sentida como presente.
O documento com cerca de oito horas intitulado O.J: Made in America era o preferido e acabou mesmo por levar a estatueta para casa. Retrata o julgamento de O.J Simpson - um jogador de futebol americano acusado de matar a sua ex-mulher - e aborda temas como a violência policial e o racismo em contexto americano.
The Salesman acabou por ser eleito o melhor filme estrangeiro e foi neste momento que as coisas se tornaram politicamente mais acesas uma vez que o realizador do Irão não esteve presente na cerimónia devido às novas leias impostas por Trump. Foi um momento marcado por um discurso muito forte escrito pelo próprio realizador.
Outra das conquistas de La La Land foi o Óscar de melhor fotografia que, e apesar de achar que tinha concorrentes à altura como Moonlight e Arrival, foi merecido uma vez que as composições de Damien Chazelle são perfeitas no que a cor e luz dizem respeito.
Na parte musical e artística La La Land foi outra vez vencedor e mais uma vez podemos dizer que os prémios foram bem entregues. Apesar de toda a história envolvente, falamos de um musical e por isso a responsabilidade de brilhar nesta área é mais elevada. Na banda sonora para mim estava muito próximo de Moonlight mas ainda assim La La Land merecia-o. Perdeu nas categorias mais técnicas como edição e mistura de som o que foi uma surpresa uma vez que é uma obra com uma forte componente técnica. No entanto, como disse no início os restantes filmes estavam sem dúvida à sua altura.
Para terminar, falta referir que até Suicide Squad ganhou um óscar na categoria de caracterização que é talvez a única coisa boa do filme sem contar a Margot Robbie.

Qual a vossa opinião face aos vencedores? De seguida trago-as a passadeira vermelha, fiquem atentas.

Share:

2 Comentários

  1. Eu estava a torcer pelo Moonlight e fiquei muito feliz pela vitória. A mensagem é incrível! THE PINK ELEPHANT SHOE // INSTAGRAM //

    ResponderEliminar