dias das mulheres e feminismo.

Sempre soube o verdadeiro significado da palavra feminista e do objetivo do dia da mulher mas sempre foram duas coisas com as quais tive mixed feeling. O conceito de feminismo porque continua a ser associado a uma luta que não defende a igualdade e ainda é associado a aspectos negativos que, queiramos ou não, surgiram de certos comportamentos supostamente feministas e pela sociedade - esse ser inevitavelmente generalista - que passou a associar esse tipo de comportamento mais negativo ao conceito de feminismo em si. Se é ignorância? Sim, claro que é mas penso que não devemos condenar tão depressa quem diz "feminismo? não, eu sou pela igualdade" porque infelizmente é justificado. Na teórica sou uma feminista mas na prática é uma palavra que me custa proferir por toda essa carga negra que tem associada. O feminismo é pela igualdade e pela liberdade de escolha e eu sou pela igualdade e pela liberdade de escolha. Se batemos palmas a uma mulher por vestir um fato e querer governar um país também se deve bater palmas a um homem por vestir um tutu e querer dançar ballet. Claro que o nível de descriminação não é o mesmo em ambos os sexos, nunca podemos dizer que o é porque efectivamente não o é. A nível profissional e sobretudo sexual então, nós, mulheres, ganhamos por muito. É por isso que se grita girl power porque a nossa situação é bem mais grave e precisa de incentivo extra. 
No entanto, os homens vivem com a pressão da masculinidade porque se forem cabeleireiros ou maquilhadores de certeza que são gays e se chorarem são umas meninas. Nas revistas de moda os homens também sofrem com os estereótipos de beleza porque tudo o que vemos são corpos musculados e magros, ou seja, falta diversidade. Houve momentos na história onde eram obrigados a cumprir serviço militar e muitas vezes a morrer por um país que não lhes dava uma escolha - aqui as mulheres também não a tinham, óbvio. Se formos a pensar bem, quando descriminamos um lado estamos automaticamente a descriminar o outro. O ideal é que cada um pudesse fazer aquilo que quisesse sem olhares, palavras de desaprovação e rótulos. Um dia será possível, o importante é ter mente aberta e educar as gerações futuras. Já se formos falar das discotecas - tinha de falar nelas - e me disserem que os homens sofrem descriminação, à primeira vista dava-lhes razão. As mulheres deviam pagar, ponto assente. No entanto, este tipo de descriminação é sobretudo sobre o sexo feminino uma vez que as mulheres são usadas como um isco para o público masculino frequentar as discotecas, é apenas marketing puro a seguir a máxima de que o sexo vende. 
Quanto ao Dia da Mulher eu queria vê-lo como uma celebração de todos os progressos que foram feitos e como uma homenagem a todas as mulheres que deram a cara por esta luta. No entanto, depois vejo certas e determinadas coisas pelas redes sociais e desanimo. Ainda hoje vi uma imagem que dizia "hoje é dia do meu marido me levar a jantar fora" e eu pensei então mas por obra de quem é que tem de ser o marido a nos levar a jantar fora no Dia da Mulher? Não tinha mais lógica sermos nos a levá-los a jantar só para mostrarmos quem manda e que não precisamos que nos convidem porque também temos iniciativa e vontade própria? Não é contraditório? Eu achava que sim mas pronto, vá, feliz Dia da Mulher! Fiquem com algumas mensagens - importantes e que não são meras tendências - que se têm propagado pelo mundo da moda e pela internet em geral:

Share:

1 Comentários